quinta-feira, 26 de julho de 2018

O QUE VAIS APRENDER EM CIÊNCIAS...

No 5º ano vais conhecer o ambiente natural em várias regiões de Portugal, perceber que há plantas e animais selvagens diferentes em cada sítio e que, se não tiverem condições de vida deixam de existir.  E que, bem perto de Braga, nos campos, floresta, rios e mar, há uma grande variedade de seres vivos selvagens, alguns que nunca viste. Vais descobrir:
  • a importância do ar, da água e do solo para a Vida na Terra;
  • a diferença entre terra (escrito com letra minúscula) de Terra (escrito com letra maiúscula);
  • a que se devem as cores diferentes da terra nas várias regiões de Portugal;
  • o que acontece aos restos de plantas que caem à terra;
  • que condições são necessárias para que haja animais e plantas selvagens em Portugal;
  • o que devemos fazer para evitar a destruição das condições de vida dos animais e das plantas;
  • o que são Áreas Protegidas e para que servem; 
  • semelhanças e diferenças entre animais e, também, entre plantas selvagens que existem em Portugal e  em outros países;
  • como se alimentam, movimentam, respiram e reproduzem os animais;
  • quais os animais e plantas selvagens que vivem numa poça de água da praia ou no rio, na floresta, nos campos, nas lagoas, rios, charcas, etc.
  • o que acontece se não protegermos o sítios onde vive cada animal e planta selvagem;
  • quais as causas da poluição do ar, da água e do solo e por que razão devemos evitá-las;
  • o que acontece aos seres vivos quando o ar, a água e o solo são poluídos pelas atividades humanas;
  • etc.
Vais fazer trabalho prático, pesquisa em livros e na net, descobrir os seres vivos na horta, no pomar e no "bosque" da escola, ver filmes sobre a vida desses animais e plantas, etc.
No final do ano, se tudo correr bem, poderás visitar o Parque Biológico de Vila Nova de Gaia e observar animais e plantas selvagens e domésticos, que estudaste durante o ano.

Vais conhecer melhor PORTUGAL e perceber que devemos colaborar para manter em bom estado o ambiente natural - os campos, florestas,  rios, lagos, oceano, etc. - e garantir as condições de vida aos animais e plantas selvagens.

Como cidadãos portugueses devemos defender e valorizar o nosso país. Concordas?

quarta-feira, 25 de julho de 2018

FLORESTA DE CARVALHOS: habitat de muitos seres vivos

PORTUGAL É UM PAÍS PEQUENO. MAS COM GRANDE BIODIVERSIDADE!
A floresta de carvalhos é um ambiente terrestre onde vive uma grande diversidade de seres vivos. Lá encontramos carvalhos, castanheiros, sobreiros, cerejeira-brava, azevinho, medronheiro, etc.
É uma floresta com muitas árvores e arbustos de folha larga, onde os animais têm abrigo e alimento. Plantas tenrinhas, castanhas, bolotas, cerejas, mirtilos, amoras, medonhos, e muitos outros frutos, fazem as delicias dos animais herbívoros. Mas precisam estar atentos, não vá um carnívoro aproximar-se e caça-los com rapidez.
É um ambiente natural com rios, ribeiros, lagoas e nascentes de água, onde têm habitat seres vivos aquáticos ou que precisam da água em fases da sua vida.

No final do verão os frutos maduros caem no solo e, mais tarde, caem as folhas das árvores e arbustos (de folha caduca). No outono o solo fica coberto de folhas de árvores, principalmente de carvalho e de castanheiro, onde muito animais procuram castanhas e bolotas que guardam como alimento para o inverno. Imagina um ratinho passeando por baixo das folhas em busca de castanhas e bolotas. Ou um musaranho procurando larvas ou insetos de que se alimenta.
Por baixo destas folhas, os bichos-da-conta, minhocas. lesmas e outros seres, alguns microscópicos, começam o processo de decomposição da folhada que será transformada em húmus. Lembras-te de os ter visto por baixo do mini bosque de carvalhos que temos junto à horta?

Insetos: abelha, borboleta, gafanhoto, libelinha,
Descobre os animais: carnívoros (insetívoros,  piscívoros, necrófagos), os herbívoros (frugívoros, granívoros, ...) e os omnívoros.
Infelizmente os animais estão sujeitos a ameaças. Alterações do habitat que os colocam em perigo.
 Quais os animais que procuram bolotas, castanhas e insetos, por baixo das folhas?
Para os animais é fácil obterem alimento? Como fazem os carnívoros? E os herbívoros?
Gostas de animais? Faz uma pesquisa sobre os que existem em Portugal:
AVES DE PORTUGAL.
ANFÍBIOS DE PORTUGAL
RÉPTEIS DE PORTUGAL
INSETOS DE PORTUGAL




domingo, 22 de abril de 2018

METAMORFOSES

Alguns animais nascem muito diferentes dos pais. Diz-se que têm METAMORFOSES.
BORBOLETA
Vê o que acontece depois da eclosão do ovo... descobre as fases das metamorfoses da borboleta.


JOANINHA
Observaste joaninhas a comerem pulgões das favas na horta da escola.
São animais insetívoros, muito importantes na agricultura, pois comem insetos que atacam as plantas. Por isso se diz que são fauna auxiliar da agricultura e amigas das plantas e do agricultor.






Observa as fases da metamorfose da joaninha na imagem ao lado.
Queres saber mais sobre a vida da joaninha? Procura esta imagem e mais informação aqui.





As rãs, tal como os sapos, salamandras e outros animais, precisam de água doce não poluída para viverem - charcas (poças de água), tanques e ribeiros - onde iniciam o seu ciclo de vida. Na 1ª fase das metamorfoses, quando são girinos, respiram por guelras como os peixes; depois na fase de rã jovem e adulta, passam a respirar pele pele (respiração cutânea) e pelos pulmões.
Continuam a precisar de água para manter a pele nua bem húmida e permitir a respiração pela pele. 
As rãs também se alimentam de insetos, tal como o sapo, a salamandra e a joaninha. São insetívoras.
Observa o ciclo de vida de uma , de um sapo e da salamandra.
Imaginas o que acontecerá se a poluição da água e a temperatura ambiente aumentarem (as alterações climáticas)? Procura aqui.
Continuará a haver animais predadores dos insetos? Que problemas poderão surgir?
Queres saber mais sobre estes animais? Procura aqui.

sábado, 21 de abril de 2018

RITUAIS DE ACASALAMENTO

Na época da reprodução os animais têm comportamentos diferentes do habitual.
O macho tem de mostrar à fêmea que:
- é da mesma espécie;
- é bonito, pelo que os seus filhos serão bonitos;
- é forte, para proteger o filho dos predadores;
- é capaz de fazer o ninho e encontrar comida para os seus filhos.
Descobre como se comporta esta ave:


quarta-feira, 18 de abril de 2018

COMO SE DESCOBRE A BIODIVERSIDADE DA FLORESTA DE CARVALHOS?

O seres vivos precisam de condições de vida: alimento, abrigo, água e temperatura adequada. 
Na floresta de carvalhos, formada por grande variedade de árvores, arbustos e plantas mais pequenas (herbáceas), os animais têm essas condições: o carvalho, castanheiro, sobreiro, cerejeira-brava e outras árvores de fruto, com muitas ramos cheios de folhas, são procuradas pelas aves para lá fazerem o seu ninho e pelos pequenos mamíferos que vivem sob  a sua proteção. 
Na Primavera têm alimento e condições excelentes para fazer o abrigo onde irão criar os seus filhos. No outono, quando os frutos caem e se acumulam sob a folhada, continuam a ter alimento para guardar para o Inverno. E, durante o inverno, procuram abrigo em árvores de folha persistente, buracos nas rochas ou grutas.
Assim, encontramos nesta floresta animais herbívoros, carnívoros e omnívoros. Uns dependem dos outros para viver e todos eles dependem da floresta que lhes dá o alimento e o abrigo.
Pensas, com certeza, como se sabe tudo isto.
A floresta tem sido estudada pelos biólogos que lá procuram sinais deixados pelos animais: pegadas, ramos de plantas e frutos roídos de um modo muito especial, excrementos e regurgitações (de aves de rapina: coruja, mocho, água, etc.). Por vezes fazem descobertas fantásticas.

Muita gente diz que a raposa é carnívora. Será verdade? Descobre aqui.
O que come a coruja-das-torres? Descobre aqui.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

REGIME ALIMENTAR DOS ANIMAIS

Os animais têm regimes alimentares diferentes...

sábado, 24 de fevereiro de 2018

DEFESA CONTRA INCÊNDIOS - cuidados a ter

Retirado aqui
440 incêndios no dia 15 de outubro de 2017!
81% do território encontrava-se em seca severa, com a temperatura acima de 30ºC.
Os incêndios deste dia queimaram grande parte da floresta portuguesa do centro e norte do país. Arderam casas e outros bens de muitas famílias, os seres vivos que lá viviam morreram ou ficaram sem alimento e abrigo e o ar ficou carregado de cinzas (partículas finas), produziu elevada quantidade de dióxido de carbono  e de outros gases que aumentaram o efeito de estufa. Morreram famílias que circulavam de carro em estradas onde  as matas arderam. 
Muita gente morreu e outros perderam a casa onde viviam, carros e outros bens.
Perdeu-se habitat e biodiversidade. Perdeu-se o solo onde muitos animais tinham abrigo.
Ficamos com menos floresta capaz de captar o dióxido de carbono do ar.
Sabemos que incêndios tão terríveis não se devem só ao facto de, nesse dia, estar muito calor  e vento. Na floresta que ardeu predominavam os pinheiros (ricos em resina) e eucaliptos (libertam gases quando há muito calor) e havia muito material combustível  no chão (ramo e arbustos secos) que facilitou a combustão. As chamas, ajudadas pelo vento, avançaram a grande velocidade sobre Braga e sobre outras cidades cercadas de floresta que ficaram carregadas de fumo.
O incêndio não entrou onde havia sobreiros, carvalhos, castanheiros, azevinhos, medronheiros e outras árvores e arbustos da floresta autóctone. Aí, ficou uma floresta verde no meio das cinzas!

Sabemos que a floresta é essencial para:

  •  captar o dióxido de carbono do ar e produzir oxigénio;
  •  proteger a biodiversidade, pois é habitat dos seres vivos selvagens;
  •  nos fornecer materiais como madeira, frutos, etc.

Assim, é urgente repensar a floresta portuguesa, reflorestando com árvores e arbustos que dificultam os incêndios. 
Para já, de modo  a evitar a acumulação de combustível (ramos, lenhas secas, etc) perto de estradas  e de casas, o Decreto-Lei nº 10/2018, relativo a gestão de combustível, obriga a retirar material que arde: a 10 m dos caminhos e estradas e a 50 m das habitações (observa  imagem).

A imagem ajuda a perceber os cuidados a ter em redor das habitações e ao lado das estradas e caminhos.
- telefona para o 112  quando vires um incêndio.
- havendo pessoas intoxicadas pelo fumo, há cuidados a ter.

O que faz falta, na tua opinião, para não dar condições aos incêndios?